quinta-feira, 6 de julho de 2017

Entrevista ao cabo José Maria Bettencourt, alusiva à corrida desta noite

  •  José Maria como vê o grupo por si liderado em relação à época que se inicia?
JMB: A temporada do GFA Aposento da Moita iniciou-se no dia 27 de Maio na Moita, corrida que o grupo cumpriu conforme o esperado, através de uma boa actuação com 2 toiros pegados à 1ª tentativa e apenas 1 toiro pegado à 2ª tentativa.
Para a temporada de 2017 temos as melhores expectativas.
Depois de um bom começo numa corrida de importante cartel no qual o grupo celebrava os seus 42 anos de história, repartindo cartel com duas importantes figuras da tauromaquia mundial, Diego Ventura e Andrés Roca Rey, a motivação não poderia ser melhor.
Após uma boa e longa época de treinos, sinto de uma maneira geral, um grupo que apesar de jovem está convicto das suas capacidades que na minha mais sincera opinião são muitas.
Este é um grupo versátil, e muito eficiente em todos os sectores da formação dos 8 elementos que saltam para pegar todo e qualquer tipo de oponente e em qualquer praça.
Esperamos desafios complicados para a temporada de 2017, mas vivo convicto de que todos eles serão descomplicados pelos extraordinários elementos que compõem o GFA Aposento da Moita.
Assim sendo, prevejo muita competitividade interna pela disputa dos lugares de fardação em dia de corrida, mas que tudo isso será sinonimo de muita qualidade nas actuações do grupo.

  • Actuar numa praça de toiros como a do Campo Pequeno traz pressão acrescida?
JMB: É completamente impossível deixar de falar daquilo que representa a praça por si só, para o Grupo.
Quando actuamos no Campo Pequeno somos automaticamente reportados através das nossas recordações aos sucessos que o Grupo conquistou nesta praça, lembrando por exemplo última e tão boa actuação frente ao melhor curro de toiros da temporada passada (de Joaquim Grave) na corrida RTP no dia 25 de Agosto, onde o Grupo acabou por conquistar o Troféu “João Moreira de Almeida”.
Falando um bocadinho da história do GFA Aposento da Moita nesta praça é imprescindível esquecer que passadas exactamente 3 semanas desde a sua fundação o Aposento da Moita estreia-se no Campo Pequeno para pegar na apresentação da Ganadaria Ortigão Costa na mesma praça.
Portanto é um facto, que esta praça tem um valor especial para o Grupo e portanto cada vez que a pisamos, cada passo é dado com muita responsabilidade e com muito respeito pela mesma.
Afinal de contas é aqui que têm de pisar os melhores, e os erros cometidos têm o dobro das repercussões, das quais queremos estar livres.

  • Nota nos seus forcados uma tensão/nervosismo maior por irem actuar na praça mais importante do país?
JMB: Como referi anteriormente, esta é uma praça que traz responsabilidade acrescida para cada forcado que a venha a pisar.
Contudo, não sinto que esse facto se torne em nervosismo ou tensão, até porque são sentimentos distintos e não têm de ser obrigatoriamente complementares.
Tensão ou nervosismo são prejudiciais em qualquer actuação e há sempre o cuidado de afastar esse tipo de sentimento nestes dias, procurando o foco naquilo que são as boas qualidades do grupo e a confiança que depositamos em todos os elementos.
Neste dia, todos os detalhes são importantes e para tal contamos com o apoio de todos os elementos, mesmo dos que não se fardem para que mesmo na bancada foquem o objectivo principal, a boa actuação do Aposento da Moita e assim o grupo possa estar tranquilo e concentrado para melhor aplicar as suas qualidades deixando de lado todos os sentimentos não pretendidos.
No fundo, basta que todos remem para o mesmo lado, para que assim possamos convergir forças e ultrapassar as dificuldades.

  • Quais são os pontos fortes do grupo?
JMB: O GFA Aposento da Moita a meu ver não só é reconhecido pelas boas actuações e boa técnica que aplica nas varias modalidades da pega, mas também pelo ambiente que se vive internamente através da amizade, união e sentido de grupo sempre cultivado desde a sua fundação até aos dias de hoje atravessando varias gerações e muitos forcados que por aqui passaram.
Para mim, esse é o ponto forte do GFA Aposento da Moita e julgo que essa têm sido a receita para muitos e longos anos de triunfo que têm sustentando o Grupo no topo da tauromaquia.

  • Existem alguns elementos do grupo que se podem fardar pela primeira vez no Campo Pequeno?
JMB: Há sempre uma expectativa, em torno dessa questão...
É para qualquer forcado um marco importante, o facto de se fardar a primeira vez no Campo Pequeno, mas não pode passar disso mesmo...
O facto do forcado se fardar não se prende com a praça em questão, mas sim com o curro de toiros e as suas características, e desde que o forcado esteja preparado para tal não têm porquê de ficar de fora, a não ser por detrimento da escolha de outro forcado com outras características e até porque a escolha de forcados para uma corrida é limitada ao número de toiros pegados nessa mesma corrida.
Se o mesmo não acontecer, será uma questão de tempo, até porque vejo em todos os elementos do GFA Aposento da Moita qualidades para se fardarem futuramente em qualquer praça do mundo perante qualquer tipo de toiro.

  • Como lidar com esses elementos?
JMB: Caso aconteça, há que lidar com isso da forma mais natural e sem distinção para qualquer forcado que já o tenha feito.
Um forcado que esteja fardado não é diferente de nenhum outro que também o faça, olhamos todos da mesma maneira e depositamos a mesma confiança em todos.

  • Quais são as suas expectativas para a corrida de 5ª feira?
JMB: O GFA Aposento da Moita olha para este cartel com uma ilusão extraordinária.
O facto do cartel ser composto por dois extraordinários matadores, que apesar de gerações e estilos diferentes, dispõem de qualidades inquestionáveis que podem ser comprovadas pelos tão recentes sucessos conquistados por ambos os matadores, como por exemplo a porta grande conquistada por Juan del Alamo em Madrid na presente temporada cortando 2 orelhas.
A juntar ao cartel, o facto de ser também composto pelos cavaleiros triunfadores de uma corrida anterior, a meu ver um gesto de grande inteligência por parte da empresa gestora da Praça de Toiros do Campo Pequeno que com o mesmo incentiva e cria competitividade entre intervenientes.
Penso que tudo isso será sinónimo de que o cartel será recheado de muita qualidade.
Iremos também assistir com toda a certeza, a um bom curro de toiros da Ganadaria de Falé Filipe que já é tão bem reconhecida quando abordamos o toureio a pé e naquilo que proporcionam aos matadores, mas que ao mesmo tempo tão boas notas deram quando expostos a lides a cavalo e remeças pediram a Grupos de Forcados.
Quanto ao GFA Aposento da Moita, o facto de ser uma corrida mista, é algo que vemos com bons olhos... Não só porque desde a sua fundação e é algo que está na génese do Grupo, olhar a pega como se de toureio a pé se tratasse... Esta foi sempre uma vontade do seu fundador e que tem perdurado até aos dias de hoje, e até fomos reconhecidos por tal através de um elemento externo, forcado de um outro grande Grupo da nossa tauromaquia.
É para o GFA Aposento da Moita um prazer integrar cartéis deste nível que, tão boas recordações poderá deixar ao público de Lisboa e portanto queremos fazer parte delas.


segunda-feira, 3 de julho de 2017

Efemérides de Junho


05 de Junho

Ano 1988

Praça de Toiros de Santarém
Toiros de Carlos e Manuel Veiga

1º Toiro - Marco Cardoso - 2ª tentativa
2º Toiro - João Machado da Cruz - 1ª tentativa
3º Toiro - João Simões - 2ª tentativa


07 de Junho

Ano 1992

Praça de Toiros de Santarém
Toiros de Conde Cabral, Eng. Ruy Gonçalves e Manuel Coimbra

1º Toiro - João Simões - 1ª tentativa
2º Toiro - Miguel Jacob - 1ª tentativa
3º Toiro - Rui Ludovino - 1ª tentativa


10 de Junho

Ano 1980

Foram forcados da cara: José Manuel Pires da Costa, Pedro Brito de Sousa, João Silva "Joli"


11 de Junho

Ano 1994

Praça de Toiros de Monforte
Toiros de ...

1º Toiro - Nuno Branha - 1ª tentativa
2º Toiro - João Pedro Alves - 2ª tentativa


13 de Junho

Ano 1997

Praça de Toiros do Pinhal Novo
Toiros de Herd. Camarate

1º Toiro - Álvaro Landureza - 2ª tentativa
2º Toiro - João Camejo - 2ª tentativa
3º Toiro - Fernando - 1ª tentativa


15 de Junho

Ano 2002

16 de Junho

Ano 1991

Praça de Toiros de Santarém
Toiros de Herds. Dª Mª do Carmo Palha

1º Toiro - Rui Ludovino - 1ª tentativa
2º Toiro - Miguel Jacob - 2ª tentativa
3º Toiro - Marco Cardoso - 1ª tentativa


Ano 1994

Praça de Toiros do Campo Pequeno
Toiros de Graves, Vinhas, Quinta da Foz

1º Toiro - João Simões - 2ª tentativa
2º Toiro - Marco Cardoso - 2ª tentativa
3º Toiro - Carlos Dias - 1ª tentativa


Ano 1997

Praça de Toiros do Campo Pequeno
Toiros de Cabral Ascensão Vaz

1º Toiro - Nuno Queiroz - 1ª tentativa
2º Toiro - Carlos Dias - 1ª tentativa
3º Toiro - João Pedro Alves - 1ª tentativa


17 de Junho

Ano 2000

21 de Junho

Ano 1979

Foram forcados da cara: António Cota, Pedro Brito de Sousa



22 de Junho

Ano 1989

Praça de Toiros do Campo Pequeno
Toiros de São Marcos

1º Toiro - Rui Ludovino - 3ª tentativa
2º Toiro - Pedro Jorge Coelho - 2ª tentativa
3º Toiro - Miguel Jacob - 1ª tentativa
4º Toiro - Francisco Ravarra Bello - 2ª tentativa
5º Toiro - Carlos Ludovino e João Simões, de cernelha - 1ª tentativa
6º Toiro - João Machado da Cruz - 2ª tentativa


23 de Junho

Ano 1996

Praça de Toiros de Alcácer do Sal
Toiros de D. Luís Terron

1º Toiro - Carlos Dias - 1ª tentativa
2º Toiro - Miguel Jacob - 2ª tentativa
3º Toiro - Mário Mateus não consumou na sua 1ª tentativa, foi dobrado por João Pedro Alves que consumou à 1ª tentativa
4º Toiro - Ntinu Wene - 2ª tentativa


24 de Junho

Ano 1995

Praça de Toiros de Angra do Heroísmo
Toiros de Rego Botelho

1º Toiro - Mário Mateus - 3ª tentativa
2º Toiro - Álvaro Landureza - 1ª tentativa
3º Toiro - Nuno Branha - 1ª tentativa


25 de Junho

Ano 1988

Praça de Toiros do Montijo
Toiros de Condessa do Sobral

1º Toiro - Francisco Ravarra Bello, não consumou na sua 1ª tentativa, foi dobrado por António José Pinto, que consumou na sua 1ª ª tentativa
2º Toiro - Rui Ludovino - 1ª tentativa
3º Toiro - Marco Lapa - 4ª tentativa


Ano 1995

Praça de Toiros de Angra do Heroísmo
Toiros de Rego Botelho

1º Toiro - Rui da Neta - 1ª tentativa
2º Toiro - Netinu Wen - ?ª tentativa
3º Toiro - Marco Cardoso - 1ª tentativa


27 de Junho

Ano 1980

Foram forcados da cara: Aníbal Pinto, Pedro Brito de Sousa, João Silva "Joli"
 

Ano 1992

Praça de Toiros de Setúbal
Toiros de António Charrua

1º Toiro - João Monge - 3ª tentativa
2º Toiro - Marco Cardoso - 1ª tentativa
3º Toiro - Luís Peças - 1ª tentativa


28 de Junho

Ano 1997

Praça de Toiros de Almada
Toiros de José Dias

1º Toiro - Rui da Neta - 1ª tentativa
2º Toiro - Bruno Alves - 1ª tentativa
3º Toiro - Diogo - 1ª tentativa
4º Toiro - Vasco Tomás - 1ª tentativa
5º Toiro - Diogo Tomás - 1ª tentativa
6º Toiro - Pedro Martins - 3ª tentativa


30 de Junho


Ano 1990

Praça de Toiros do Montijo
Toiros de Herds. Dª Mª do Carmo Palha

1º Toiro - Marco Cardoso não consumou na sua 1ª tentativa, dobrado por Pedro Neiva Correia que consumou à 1ª tentativa
2º Toiro - João Machado da Cruz - 1ª tentativa
3º Toiro - João Simões - 3ª tentativa

quinta-feira, 22 de junho de 2017

Forcado António Coelho operado com sucesso

O forcado António Coelho, uma das revelações da temporada passada, que se havia lesionado num dos treinos de preparação da presente temporada, foi hoje operado com sucesso.


A cirurgia teve lugar no Hospital Quirónsalud Clideba.


Ao António, rápidas melhoras!